Archive for setembro \24\UTC 2010

vai lá!

setembro 24, 2010

Teu esforço na luta pra deixar de ser assunto restrito a rodinhas de conversa entre músicos prosperou.

Uma mentira deslavada aqui, um exagero acolá, uma audiência parcialmente analfabeta funcional e… PRONTO! Um factóide venenoso pra bombar os acessos! WOO HOO. Publicidade pura e aplicada para uns, ESCROTICE MENTIROSA E INACREDITÁVEL pra mim. Nem o Fluminense dos anos 90 se rebaixou tanto. Daonde veio tanta mentira? Só pode ser dauquele enorme calo no teu calcanhar onde está escrito ‘O Phellipe nunca teve nada sério contigo’.

Nunca mesmo. Saltei do BARQUINHO tão logo saquei qual era a tua real intenção. E, ei, vocês não eram mais amigas! Que melhores amigas são essas que ficam mais de seis meses sem se falar? Mas pra quê dizer isso, e perder a torcida de meia dúzia de fãs de banda? Monta uma ‘verdade’ mais bonita, então. Pinta o quadro que elas querem olhar. Mas eu tô rasgando ele aqui.

Surpreendeu, mesmo vindo de ti. Vai lá Flávia, ou Flu.. como preferir!

Mas vim aqui mesmo é pra dar os parabéns! Conseguiste tudo que precisavas. Só falta mesmo mais uma foto de biquíni e sorriso, igualzinha a todas aquelas outras, muitíssimo bem editada, daquelas que sintetizam todo um jeito peculiar de se viver uma vida completa. SINIIISHTRO, CÁÁRA!

Ops… eu escrevi completa? Nem tanto.

Coitado do teu magrão. No lugar dele, te cagava-lhe a pau. Duas vezes, pra deixar de ser LÓQUE.

Tá caro me esquecer, MESMO. Mas nada que mais um bazar solidário não resolva.

E, quanto à fofoqueira, só tenho uma coisa a dizer: FALTA DE CHONGA.

Mas, vai, Mathew, fala por mim, que eu não agüento mais:

“DURING THE STRUGGLE
THEY WILL PUT US DOWN
BUT PLEASE LET’S NOT LOSE THIS CHANCE TO TURN THINGS AROUND
BECAUSE TONIGHT WE CAN TRULY SAY
TOGETHER WE’RE IN-VIN-CI-BLE”.

Anúncios

Putz.

setembro 24, 2010

* O Ivan era do tipo do cara que tinha que ser canonizado. A gente pisou em Sâo Paulo pela primeira vez em meados de 2008, para 2 shows, que na verdade acabaram sendo 1 e meio. O ‘contratante’ jamais apareceu, a gente se virou, atravessou a cidade sem nunca ter andado de metrô, com instrumentos, e o escambau. 4 bangus de apartamento perdidos naquele entreveiro de minhocas de metal.

* Não tinha onde dormir. Dormimos numa construção, somente porque o Gui teve a sorte de conhecer uma mina que nos descolou aquele cantinho empoeirado. Ás 6 da manhã, fomos enxotados da baia pela mãe da moça. Novamente perdidos, rumamos para uma Verdurada no metrô jabaquara. Mendigamos um espaço e o organizador permitiu que abríssemos aquela tarde de shows, tocando para meia dúzia de pessoas umas 5 ou 6 músicas, naquele dia que ainda teria Noção de Nada.

* Foi lá que eu conheci o Ivan. Era um fã. Sim, um fã em 2008. Eram pouquíssimos, raros. Ele soube do nosso sufoco e nos ofereceu sua casa. E era longe, a porra. E era pequena, menor que o meu quarto. Mas ele abrigou nós quatro, deu comida, mostrou um DVD importado do Dashboard. O dia seguinte era de show em Caçapava. Não teve show. Fugimos de ladrões, demos calote na van, estávamos falidos. O Ivan nos pagou um lanche no Bob’s.

* Sempre que pude, mantive contato com ele. Pouco, mas mantive. Vez que outra ele pintava num show nosso, sempre orgulhoso de nos ter salvado a vida, e era sempre devidamente ovacionado por nós.

* Naquele mesmo dia, eu lembro de demorar mais de 12 horas para perceber que ele não tinha uma perna. Porra, ele corria, dançava, até cantava numa banda, porra. Só fomos descobrir quando ele entrou pela porta dianteira do ônibus. Ao ser perguntado, ele foi direto: “eu não tenho uma perna”. Aquilo me pegou de revesgueio, como uma bifa no lado da cara, pra deixar de ser lóque. Ele não tava nem aí. Nem um pouco aqui.

* Ivan, tua passagem por aqui foi uma história de luta, de bondade, e de amizade sem limites, sem tamanho, sem preço, sem volta. Faz brilhar uma estrela, dá umas barbadas pra gente, canta umas pedras, porque tá todo mundo fudido aqui embaixo, sem saber o que fazer. Agora ainda mais, sem a certeza da tua presença, em algum lugar dessa cidade poluída. Muita gente te ama, e fica aqui tentando ser tão foda quanto tu foi. Tu é.

* Deve ser fantástico, o teu novo mundo, Bob. Aproveita.

o que queriam saber.

setembro 20, 2010

Durante todo o final de semana Phellipe tratou Amanda com todo carinho e atenção. Não deu a mínima para o desentendimento entre Amanda e Lucas, passou o tempo todo ao lado dela cercando-a de carinhos e atenção. Pouco falou ou se dirigiu ao amigo. Não se desgrudou um minuto sequer da Amanda depois que atendeu o telefone, Amanda ficou completamente transtornada e Phellipe continuou a seu lado apoiando e dando mais carinho ainda pois percebeu o quanto ela estava fragilizada. A festa de sexta foi tudo de bom, ele romântico e ela toda amorosa. Phellipe vai dormir após a festa, Amanda fica acordada e começa um papo com Aline e Lucas na madrugada enquanto Phellipe dormia. Aline fala da possibilidade de Phellipe estar sendo visto como um vilão e Amanda vai dormir grilada.

Na manhã de sábado, Phellipe acorda e todo amoroso vai dar um abraço de bom dia na Amanda. Amanda repele e não deixa que ele encoste um dedo sequer nela. Aí começa o problema. O sábado  inteiro foi um inferno, Amanda chateada, preocupada com o telefone e Phellipe atento, tomando conta, cercando, tentando chegar perto. Sentados na espreguiçadeira do jardim do hotel eles conversam e Phellipe pergunta se ela quer um beijo e um abraço, ela diz que não. Ele retruca que quando ela quiser que peça que ele está esperando por ela. À noitinha, ela se dá conta de que não deu atenção ao Palito um pouco mais tarde pede desculpas ao Phellipe que responde todo romântico que tudo bem que ele durante o dia tinha usado a cota de beijinhos da Brenda que ele trazia guardada no bolso. Tudo parecia bem.
Quando ela recebe outro telefone, Amanda descobre que todo seu pavor foi em vão. Que não havia nada de ruim. Não sei que mecanismos ocorrem na cabeça da Amanda, mas ela começa a alfinetar Phellipe, faz pouco dele na frente dos amigos, debocha da conversa que eles tiveram no jardim. Phe se aborrece e perde a paciência e fala algumas bobagens, nada que ele já não tenha falado antes em tom de brincadeira, mas que ontem acabaram tomando outra proporção diante de seu imenso aborrecimento.  Amanda, como sempre, se dá conta de que ultrapassou o limite e corre atrás para reverter a situação, mas encontra um Phellipe resistente e ferido. Ela insiste numa reconciliação sob os olhares atentos de Lucas e Aline no quarto. Amanda quer mostrar o poder que tem sobre ele para os amigos, Phellipe continua resistindo, mas cede um pouquinho.

Mais tarde vão dormir e ela pergunta se ele está zangado, Phellipe responde – Zangado não, decepcionado e triste. Phellipe pega no sono e Amanda não conseguindo dormir vai ao quarto ao lado conversar com Aline. Elas conversam até cinco horas da manhã. Amanda retorna para cama e abraça Phellipe que corresponde com carinhos e beijos sonolentos. Hoje pela manhã eles acordam cheios de amor para dar um ao outro tanto que nem assistem aos clipes na sala junto com a gente,  ficam de frescura. Enfim esta é a linha de acontecimentos que levaram aos desentendimentos e às declarações do Phellipe

Apenas Phellipe e Aline podem resolver este assunto. Ele será resolvido ainda na Argentina ou depois que eles sairem e conversarem, Phellipe não é santo, mas toda vez que Amanda se aborrece e apronta é ele quem paga o preço,  é ele quem passa pelo duro e insensível. Enfim… ô coisa complicada.

Gui.

Argentina..

setembro 20, 2010

O show de hoje foi o último, mais uma etapa concluída! Terça-feira o magic bus nos espera, voltaremos para os pampas levando uma saudade louca desse lugar que nos recebou super bem. Uma mala de roupas sujas, outra de roupas novas, brinquedos e presentes. Muitos presentes, sério! Para uma banda que é independente e não usa a internet como um meio de divulgar me surpreendeu. O carinho foi grande, ursos, cartas e abraços… muitos abraços!  Na boa, marcou.

(tenho preguiça de autorizar os comentários, mas leio todos).

Set:
– Não mais
– Fim (nova)
– Tá vendo aquela lua – Exaltasamba
– Fugidinha – Michel Teló
– Entre teus dedos – Reação em Cadeia
– I don’t wanna fall down – Reação em Cadeia
– Pensando em você – Claudia Leitte
– Sem você
– Flesh
– Redenção
– Guri – César Passarinho
– Canto Alegretense – Neto Fagundes
– Porto Alegre – Fresno
(20 de setembro, tchê!)
– Come as you are – Nirvana
– Always – Bon Jovi
– Sempre
– Boys don’t cry – The Cure
– Mesmo querendo (nova)

Piano Bar + Vambora
(shorei litrush)

20 músicas, incluindo a invasão! Chorar e sorrir. BAITA BAILE! VALEÚ, TÔ SEM VOZ! (:

(mulher chorando é foda de aguentar)

rapidón (:

setembro 20, 2010

Sem palavras, vocês nos surpreendem cada dia mais! 1° presente foi o show de ontem em Buenos Aires com a galera toda reunida cantando, pulando e agitando muito, só quem tava lá sabe do que estamos falando.

Depois como 2° presente bombam os tweets,  posts e mensagens com tantas coisas positivas que não tem como não se emocionar.

A gente fica literalmente sem palavras e reações pra descrever o quanto vocês significam para nós!

Gostariamos de agradecer do fundo de nossos corações cada pessoa que estava lá e participou de um momento tão importante pra banda. Como citei antes, esse não foi o show da banda na qual tocamos para mais pessoas, mas sim um show que será lembrado para SEMPRE!

Foi absolutamente LINDO, ver a galera inteira cantando todas as músicas, é sempre maravilhoso rever a galera que já nos acompanha a um bom tempo toda reunida e rostinhos novos..

Em varios momentos durante o show a gente quase desabou nas lagrimas junto com vcs, :~

ORGULHO é a palavra que define tudo que vem acontecendo, orgulho de ter ao nosso lado pessoas tão especiais como vocês!

Só vocês sabem o quanto batalhamos, sem nunca passar por cima de nada ou ninguem ou se escorar em alguem pra concretizar nosso sonho que VOCÊ que está lendo esse post colabora tanto pra fazer rolar.

Podemos afirmar aqui que se não fossem vocês NADA disso estaria acontecendo, vocês são nossa base, nossa motivação e combustível pra continuar e JAMAIS DESISTIR.

Já tocamos no mesmo lugar para apenas 6 pessoas a um tempo atrás, isso não nos desmotivou, muito pelo contrário e como havíamos prometido naquele dia, ainda voltariamos lá com a casa lotada, e conseguimos, não só só por se tratar de um festival e sim lotada com toda galera cantando todas as nossas músicas.

Pode parecer clichê, mas NUNCA desistam de um sonho, ACREDITE sempre, tu é capaz! :~

OBRIGADO POR EXISTIREM, nossos corações pertencem a todos vocês

Fica aqui o registro de um sincero agradecimento,
Phellipe, Lucas, Guilherme e Aline.

setembro 17, 2010

E quando precisa que uma edição no mínimo banal passe a ter a necessidade de defesa dos jornalistas do prêmio a história muda mais ainda. Patrícia  deu nota 10 para a edição sobre Phellipe e Lucas no show da última terça-feira e a única conclusão que eu posso tirar disso tudo é que Phellipe é bom pra caramba! Pois só sendo muito bom para que surja a necessidade de se contar pela primeira vez na história de um concurso uma mentira numa tentativa de se desconstruir a imagem de um participante. Esconderam suas qualidades, ressaltaram seus defeitos e, agora, na reta final, editam mentiras para causar polêmica.

A conversa em que Phellipe falava com Lucas sobre ele e Brenda foi levada ao telão como se Phellipe falasse dele e Lucas. Desculpe-me Patrícia, mas quando um jornalista dá nota 10 para uma mentira está na hora desse profissional começar a rever os seus conceitos. Ou pelo menos questionar o seu comprometimento com seu local de trabalho. Eu aprendi que nem tudo vale a pena, existem valores éticos que quando norteiam nossas escolhas podem a princípio dar a impressão que perdemos, mas que confirmam ao longo do tempo a nossa decisão como a mais acertada. Pautados pela ética nossas chances de erro são infinitamente menores.

Não é verdade que Phellipe “perdeu-se no excesso do não comprometimento”. Phellipe comprometeu-se como nunca nenhuma outra pessoa havia feito, ele assumiu de maneira clara e inequívoca o seu papel de jogador, de participante desse prêmio. E esse comprometimento imenso norteou toda sua trajetória e por ele foi julgado.  Julgaram Phellipe frio e calculista quando na verdade ele é doce e carinhoso, julgaram Phellipe capaz de cometer uma deslealdade a qualquer minuto e ele mostrou-se o mais leal dos amigos. Lealdade essa que nunca foi cobrada dos demais, como muito bem disse Phellipe, o compromisso de defender os amigos ele assumiu com ele, Phellipe. E esse sempre é o maior compromisso que a gente assume, exige muita coragem e firmeza para assumir os riscos, independente de retorno por suas atitudes.

Ele por se assumir não mais criança, foi julgado na sinceridade de seu envolvimento com Brenda. E Phellipe nunca usou esse romance para fazer auto promoção, pelo contrário. Assumiu um romance sem glamour, sem falsas promessas de amor eterno, sem cenas idílicas de capa e espada, assumiu um romance com Bren, vivendo cada verdade e cada dúvida em sua plenitude. E para isso também é preciso muita coragem de se expor, para se deixar julgar pelo que se é e não por uma projeção de um personagem que nunca existiu.

Por se assumir assim, alguns tentaram a todo custo jogar nas costas do Palito o ônus de uma perseguição à outras pessoas que nunca existiu. Mas, Phellipe é maior que tudo isso e sua natureza gentil apagou qualquer possibilidade de lhe amputarem um ódio visceral por qualquer um de seus adversários que a ponto de transformá-lo num vilão. Phe é feito de amor e não de ódio e por ser assim também foi julgado por todos. Queriam um vilão destrutivo, não conseguiram, pois o nome de Phellipe é construção. Queriam um herói descontrolado, bêbado e prepotente, também não conseguiram, pois o nome de Phellipe é equilíbrio.

Foi Phe quem trouxe o seu amigos unidos por três longos meses, foi amigo e líder, foi referência. Obrigou com sua maturidade que todos também se comportassem de maneira adulta, sem pitis. E também por isso foi penalizado, Phellipe foi o primeiro dos amigos a ser julgado por seu grupo. Mesmo assim, depois do primeiro baque, ele levantou a cabeça e foi orgulhoso e tranqüilo enfrentar mais um julgamento do público.

Segundo dizem, Phellipe “pecou por excesso de falta de comprometimento”… Ah… Tá bom, fica combinado assim. Que pena Senhor Produtor, pois Phe foi o seu ‘jogador’ mais comprometido, o mais disciplinado. O que se esmerou em todas as provas. Ah… Tá… Phellipe não se comprometeu com Brenda. É isso? É esta sua preocupação? Você também se tornou fã? Mas, Phellipe se comprometeu sim com Bren. Comprometeu-se naquilo que é mais difícil para um homem comprometer-se com uma mulher. Assumir todas as dificuldades impostas pela relação, comprometeu-se a ajudar o outro a crescer, a enfrentar os seus fantasmas, as suas dificuldades, comprometer-se a fazer de uma mulher uma companheira, comprometer-se com se a quisesse para uma vida inteira.

Phe com uma paciência infinita comprometeu-se com as mudanças de humor da Bren, com os esqueletos que ela certamente tem guardados dentro de seu armário que a torna uma menina tão cheia de dificuldades em encarar um relacionamento de maneira séria.  Phe comprometeu-se com Bren quando decidiu que gostava dela independente de existir outro em sua vida, quando num momento mágico para ele. Ali, mais uma vez, Phellipe comprometeu-se com Brenda, ficou ao lado dela, não deixou que, assim como a facada do Gui..

Ao não questiona-la, ou melhor, ao afirmar sua extrema confiança em Brenda e no que ela sentia, ele comprometeu-se com ela como nenhum outro namorado havia se comprometido anteriormente perto de mim. E mesmo na história da Aline ele comprometeu-se com a verdade dele e não com a sua verdade ou com aquela que os outros esperavam dele. Ele havia avisado à Brenda que ele não tomaria partido naquela briga de sexta série. Eu, particularmente, questiono a validade dele ter ido apartar a briga de Brenda e Aline. Já falei aqui e vou repetir, Brenda não queria que Phellipe fosse tirá-la do banheiro, do meio da confusão, ela queria que Phe se juntasse a ela na briga com Aline. Sinceramente? Da maneira como Bren estava descontrolada não sei qual seria sua reação se Phellipe encostasse um dedo nela para tirá-la de lá.

Ah…Ta legal… Phellipe disse na piscina que caso Bren fosse prejudicada a responsabilidade era inteiramente dela. Mas, Phe já pagou por essa declaração, já perdeu os fãs que tinha que perder a um mês atrás e nem por isso, naquela época, perdeu de vez o seu favoritismo. Aliás, fez melhor ainda, no decorrer de lá para cá conseguiu recuperar muitos desses fãs por mostrar-se cada dia uma pessoa mais encantadora. Você, torcida, vai deixar que alguém, seja lá quem for, de antemão declare a derrota do Phellipe? Como alguém pode afirmar algo que ainda não aconteceu? E, mais, depois dessa declaração a preocupação com a lisura da votação terá que ser redobrada.

Mesmo com toda a decepção que eu tive com a produção dessa mini-tour eu duvido que a falta de profissionalismo seja tamanha a ponto de não deixarem que os números falem mais alto. Mas, a superação está nas mãos de vocês, organizem-se nas comunidades, façam mutirões de votos, aprendam com os adversários suas táticas, façam controle dos votos feitos por telefone, superem seus adversários, não deixem que os números sejam pequenos e desanimados, pois aí sim vocês darão todas as brechas para a manipulação e a derrota antecipada. Façam como Phellipe. Comprometam-se.

Pois, Phellipe comprometeu-se sim. Comprometeu-se e posicionou-se na briga de Aline com Tom, na briga de André com Gui, na briga de Flu com todo o grupo, comprometeu-se com Brenda. Phellipe nunca deixou de expressar sua opinião. Mas, não perdeu a calma, não fez barracos, não ficou bêbado, não passeou de cueca branca pela casa, não distribuiu beijos apaixonados pelos jardins, não fez promessas vãs de amor eterno. Sabem por quê? Porque ele é único, foi ele por inteiro. Foi, e está sendo o melhor. O mais íntegro, o mais leal, foi divertido na medida certa, é charmoso por natureza, é gaúcho por nascimento, é gente por vocação.

Amanda.

setembro 13, 2010

O meu mapa-múndi não ficou muito legal, já que só estive em SETE cidades fora do Brasil: Buenos Aires e Quilmes (ARG), Montevidéu e Punta del Este (URU), Ciudad del Este (PAR), Nova York e East Rutherford/NJ (EUA).

Já no Brasil…

Apelei para a tabela de shows da banda. Até hoje, foram 503 shows em 154 cidades diferentes. Isso fora as cidades que eu fui a lazer.

Aí vai, em primeira mão, as cidades dos 503 shows.

Alegrete (RS)
Alfenas (MG)
Alvorada (RS)
Americana (SP), 6 vezes
Andradas (MG)
Aracaju (SE), 2 vezes
Araçatuba (SP)
Araraquara (SP)
Arroio do Meio (RS)
Atlântida (RS), 5 vezes
Avaré (SP)
Balneário Camboriú (SC), 3 vezes
Barão dos Cocais (MG)
Barretos (SP)
Barueri (SP)
Batatais (SP)
Bauru (SP), 3 vezes
Bebedouro (SP)
Belo Horizonte (MG), 8 vezes
Bento Gonçalves (RS)
Bertioga (SP)
Blumenau (SC)
Brasília (DF), 3 vezes
Cabo Frio (RJ), 2 vezes
Cachoeira do Sul (RS)
Campinas (SP), 6 vezes
Campo Bom (RS), 3 vezes
Canoas (RS), 4 vezes
Capanema (PR)
Capão da Canoa (RS)
Caraguatatuba (SP), 3 vezes
Carazinho (RS), 2 vezes
Carlos Barbosa (RS)
Castro (PR)
Catanduva (SP)
Caxias do Sul (RS), 2 vezes
Chapecó (SC)
Charqueadas (RS), 2 vezes
Conceição dos Ouros (MG)
Cosmópolis (SP)
Criciúma (SC), 3 vezes
Cruz Alta (RS)
Cubatão (SP)
Cuiabá (MT), 2 vezes
Curitiba (PR), 17 vezes
Diadema (SP)
Divinópolis (MG)
Duque de Caxias (RJ), 3 vezes
Entre Rios de Minas (MG)
Erechim (RS)
Esteio (RS)
Estrela (RS)
Farroupilha (RS)
Ferraz de Vasconcelos (SP)
Florianópolis (SC), 6 vezes
Fortaleza (CE), 7 vezes
Foz do Iguaçu (PR), 2 vezes
Garibaldi (RS)
Goiânia (GO), 2 vezes
Gramado (RS), 2 vezes
Guaíba (RS)
Guarapuava (PR), 2 vezes
Guaratinguetá (SP)
Guaratuba (PR)
Guarujá (SP), 3 vezes
Guarulhos (SP), 4 vezes
Ibitinga (SP)
Ijuí (RS)
Ilha Comprida (SP)
Indaiatuba (SP)
Itajaí (SC)
Itapetininga (SP), 2 vezes
Jacareí (SP), 2 vezes
Jaguariúna (SP)
Jaú (SP)
João Pessoa (PB), 2 vezes
Juiz de Fora (MG)
Jundiaí (SP), 6 vezes
Junqueirópolis (SP)
Lajeado (RS)
Lençóis Paulista (SP)
Limeira (SP), 2 vezes
Londrina (PR), 3 vezes
Maceió (AL), 4 vezes
Mal. Cândido Rondon (PR)
Manaus (AM), 3 vezes
Marau (RS), 2 vezes
Marília (SP), 2 vezes
Maringá (PR), 2 vezes
Mauá (SP)
Mogi das Cruzes (SP), 2 vezes
Montenegro (RS)
Natal (RN), 2 vezes
Niterói (RJ), 2 vezes
Nova Prata (RS)
Novo Hamburgo (RS), 5 vezes
Osasco (SP), 11 vezes
Ourinhos (SP)
Parobé (RS), 2 vezes
Passo Fundo (RS)
Pelotas (RS), 2 vezes
Piracicaba (SP)
Ponta Grossa (PR)
Praia Grande (SP), 2 vezes
Recife (PE), 8 vezes
Registro (SP), 2 vezes
Ribeirão Preto (SP), 3 vezes
Rio Claro (SP), 3 vezes
Rio de Janeiro (RJ), 19 vezes
Rio Grande (RS)
Salvador (BA), 4 vezes
Salvador do Sul (RS)
Santa Cruz do Sul (RS), 2 vezes
Santa Maria (RS)
Santa Rosa (RS)
Santo André (SP), 8 vezes
Santo Ângelo (RS)
Santos (SP), 8 vezes
São Bernardo do Campo (SP), 16 vezes
São Caetano do Sul (SP), 3 vezes
São Gonçalo (RJ), 4 vezes
São José do Rio Preto (SP), 4 vezes
São José dos Campos (SP)
São Leopoldo (RS), 3 vezes
São Lourenço do Sul (RS)
São Miguel Paulista (SP)
São Paulo (SP), 69 vezes
São Roque (SP)
São Sebastião do Caí (RS)
Sapiranga (RS), 2 vezes
Sapucaia do Sul (RS)
Soledade (RS)
Sorocaba (SP), 8 vezes
Suzano (SP)
Taubaté (SP), 3 vezes
Teutônia (RS)
Torres (RS), 2 vezes
Três Coroas (RS), 2 vezes
Três Rios (RJ)
Ubatuba (SP)
Uberlândia (MG), 4 vezes
Uruguaiana (RS)
Varginha (MG)
Venâncio Aires (RS)
Veranópolis (RS)
Vila Velha (ES), 2 vezes
Vinhedo (SP), 4 vezes
Vitória (ES)
Volta Redonda (RJ)
Xaxim (SC), 2 vezes

(atualizado em 17/08/2010)
Não coloquei Porto Alegre, Camaquã e Gravataí porque foram cidades que eu já morei. Também não coloquei Canela, Gramado e Tramandaí por já ter ido muitas vezes.

Depois de perder duas horas da minha vida atualizado o meu mapa cidade por cidade, o resultado final é:

Também tem a opção I WANT TO GO (“lugares que eu quero ir”), e já sei que cidade vou marcar: ABU DHABI!

Mulheres (ou “A Metade Mais Bela do Mundo”).

setembro 12, 2010

Bem, vocês podem dar uma caixa com chocolate pra elas, um belo vestido ou o presente que for, mas não se assuste se elas gostarem mais da cartinha ou recado que você escondeu dentro dele.

Dar um presente caro e infinitamente lindo não é sinônimo de virilidade. Uma mulher prefere que você dê uma simples flor, mas que perceba que ela está usando um vestido novo do que um super presente dado por alguém incapaz de notar que ela mudou o corte de cabelo.

Mesmo que gaste uma fortuna na academia, ela prefere elogios sobre sua personalidade do que sobre seu corpo. Muitos homens precisam aprender isso. E, devem aprender também que carro bonito não é garantia de sucesso, porque no primeiro encontro algumas delas nem lembra do modelo do seu carro, mas não esquecem que você abriu a porta pra elas.

E se você homem, admitir que uma mulher faz alguma coisa melhor do que você, acredite, o mundo não acaba.

Talvez eu pense assim. Talvez eu seja mesmo assim. Talvez eu seja o único.

Escrito em minhas pálpebras.

setembro 12, 2010

Quando eu mais queria gritar ao mundo, minha boca se cala. Eu não tenho palavras. E já tentei começar esse texto de milhões de formas diferentes e as letras não colaboram, se agrupando de forma organizada e lógica. Aliás, não há nada de organizado e lógico nos meus dias. Não nos meus dias sem você. Porque o vazio que eu sinto aqui, e na verdade sempre existiu, tem a sua forma. Não há nada, nem ninguém que consiga preencher. O seu lugar está marcado, ao meu lado. Então vem, chega logo, toma o que é teu pra ti e me cerca, me cuida. Pra que as palavras façam sentido de novo e eu nem precise de letras pra dizer nada. A verdade vai estar escrita nas paredes, nos muros das cidades de tal forma que, vai ser impossível não nos ler.

“500 dias com ela”

setembro 11, 2010


Então eu assisti esse filme. E achei perfeito em tantas partes… Porque seja naquela cena em que a gente vê a expectativa e a realidade do Tom, lado a lado, no take dividido da cena, seja na parte em que a amiguinha adolescente diz a ele pra ele olhar pra toda a sua história com a Summer, e não apenas para aquilo que era bom… eu me vi.
Porque depois que a dor passa, mesmo que de um grande amor só reste uma dança de despedida, muita coisa ainda fica… A história do Tom é a história de qualquer pessoa que já tenha vivido o amor e suas lições dolorosas que cobram sobriedade da gente quando ainda se está tão embriagado dele… O filme mostra (e na nossa vida a gente aprende) que uma situação pode ser, muitas vezes, apenas um meio para outras descobertas, outras vivências, outras experiências… Não aquelas que esperávamos. Não daquele jeito… Mas sempre vale a pena.
*

Ouvindo Regina Spektor, Us.

Ele: Você nunca quis ser a namorada de ninguém e agora é a esposa de alguém…

Ela: Me surpreendeu também.
Ele: Acho que nunca vou entender. Quer dizer, não faz sentido.
Ela: Só aconteceu.
Ele: É, mas é isso que não entendo. O que só aconteceu?
Ela: Só acordei um dia e soube.
Ele: Soube o quê?
Ela: O que eu nunca tive certeza com você.

[Silêncios. Desilusão.]

Ele: Sabe o que é uma droga? Perceber que tudo em que você acredita é mentira, é uma droga.
Ela: O que quer dizer?
Ele: Sabe, destino, almas gêmeas… Amor verdadeiro e todos aqueles contos infantis… Besteira, você estava certa, eu deveria ter escutado.
Ela: Não.
Ele: Sim, por que está sorrindo?
Ela: Tom… […] Eu estava sentada numa doceria lendo Dorian Gray, um cara chega pra mim e me pergunta sobre o livro e agora ele é meu marido.
Ele: É, e daí?
Ela: E daí que… E se eu… tivesse ido ao cinema? Ou tivesse ido almoçar em outro lugar? E se tivesse chegado 10 minutos mais tarde? Era… era pra ser. E eu só ficava pensando… “Tom estava certo.”
Ele: Não…
[Sorrisos.]

Ela: Sim, eu pensei…

[Cumplicidade.]

Ela: Só não era sobre mim que você estava certo.