“Você ama quem você ama, não importa porque você ama”

Me perguntei exatamente isso : ‘ Porque será que me apaixono, por quem parace não demonstrar interesse, por quem pareci ser inatingivel’…o contráditório é que sempre agi por impulso, e hoje, já não consigo ser assim…suponho que seja culpa minha mesmo, ter batido por inúmeras vezes com a cara na parede, tentando buscar, não importando como, a felicidade que tanto procuro…

* Quando ainda consigo me deparar com essas lembranças, recordo de não ser impulsivo, por tanto medo consumado em meu peito, medo de tomar a iniciativa errada, medo de ser mal interpretado, medo do que poderas pensar ao meu respeito, medo do teu conceito, medo de não impressionar, medo de não saber o que falar, de parecer tolo, medo de tua reação, então me calo.
Me lembro de oportunidades claras, que talvez de alguma maneira, poderiam ter sido de um excitante ‘final’.
Já perei para para imaginar,o que poderia ter dito, enquanto permanecia por lá…vinham frases em minha cabeça, mas parece que alguém as arrancou…

Quem sabe, se conversasse com Clementine, ela me diria como agir…assim por impulso,assim com o coração. Talvez seria fácil, viver brilho eterno na lembrança.
Ela, me fez perceber, que tudo aquilo que se passa em mim, por dentro, que hesito em demonstrar por medo, não deveria ser assim.

Minha cabeça dói, já não consigo pensar. Essas asas pesam o dobro do que consigo carregar, já tentei arranca-la de minhas costas, mas percebi que sem voar, não posso estar próxima das nuvens, lugar que olho aqui de longe, quando estou agora, longe de ti…sem alcançar das nuvens…

Daí vem você, e diz: não posso estar aqui, tenho que ir para o outro lugar, não chegue tão próximo, podes te ferir, ao encontrar teus olhos com os meus.
Não olhe, não chegue perto demais…tenho que voar pra longe, onde quero estar…foi então que partiu, voou rumo a outra nuvem, outro sonho, outros braços, outras asas…

Não a abrace, não a toque, não olhe por de trás dos olhos, não a permita que sinta, não deixe que perceba, que encontrastes teu lugar, tua nuvem, não deixe sentir, que tuas asas estão cansadas de procurar, de esperar de hesitar.
Deixe a partir, não queria mais do que podes ter.
Não sonhe demais, esqueça desse momento.
Implore, para que não se lembre de tua face.
Não te permitas sonhar, não levante voou, corte tuas asas.

Pegue o telefone, ligue para Lacuna Inc., diga que precisa esquecer,diga que não quer mais lembrar, teu cheiro, teu nome, teu semblante, tuas mãos, teu sorriso, teus olhos, tua existência, antes que seja tarde demais…esqueça a música,esqueça…apague essas lembranças…feche tuas asas…

* “Feliz é o destino da inocente vestal!
Esquecendo o mundo e sendo por ele esquecida.
Brilho eterno de uma mente sem lembranças.
Toda prece é ouvida, toda graça se alcança.”

* as mãos, os olhos…Deixe-me ficar com esta lembrança… por favor, só essa…grita minha alma, por mais que eu queria esquecer…

brilhoeterno

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: