Archive for dezembro \27\UTC 2010

aos poucos.

dezembro 27, 2010

Sou um privilegiado. Tenho saúde, casa, família, amigos, abrigo e alimento. Amor. Minha própria religiosidade. Meu emprego, ainda não remunerado, mas que me traz alegrias pessoais e espirituais. Tenho uma paixão, para me manter aceso. Não passo dificuldade.
E ainda assim não sei lidar com meus defeitos. Sinto vergonha de mim mesmo e sou um cidadão passivo. É um mundo complicado. São tempos difíceis. Nada faz um sentido no mínimo coerente. Pessoas dormem nas calçadas. Morrem de fome. Pessoas matam pessoas. Eu mesmo me castro. Eu mato a mim mesmo todo dia. Que formatação é essa? Não quero sentir ódio ou raiva. Não quero ganhar nunca. O que é ganhar? Como dizia o filme: “É irracional temer um evento se, quando esse evento ocorre, não existimos. E uma vez que, quando a morte está existindo, nós não estamos. E quando nós estamos existindo, a morte não está. Então é irracional temer a morte. Alguém pode da mesma forma, afirmou Epícuro, temer o nascimento…” Assim, pareço temer o nascimento todo dia. É algo como estar confortável em uma posição incômoda. Aceitar o desconforto. Deixar que a vida inteira escorra sob a insígnia de cada segundo.
Tenho tido vontade de chorar às vezes. O que se faz com esse mundo? Olha pra gente. Como ficar em paz? Fugir não é exatamente uma alternativa. Coniver? Fazer o meu papel. Mas o meio é mais uma parte do engano todo. Será que todos estão surdos? Me sinto ator de mim mesmo às vezes, interpretando no teatro mais ingrato. Me lembrei do gosto dos dias mais depressivos que tomei conhecimento. Não tive vontade de fazer nada. Precisei levantar e me mexer dentro de casa. Vou escovar os dentes. Quando se está em casa e não se escova os dentes é um sinal preocupante. As unhas crescem, a barba idem. Semana passada eu decidi confrontar, nesse domingo quem perdeu foi eu. Mas as horas passam e a noite me toma. Agora parece estar tudo bem. O silêncio me agrada e o incenso está no fim. Outra dia que morri um tanto para renascer outra vez. Não me prometo nada. Esse mundo ainda me parece estranho.
Muito amor.

Anúncios

melhor assim.

dezembro 27, 2010

‘cara, vc ainda tem uma vida pra te provar q muitas coisas q vc pensa hj estao erradas, ou pra afirmar q estao certas..vc ainda pode ter uma familia, filhos.. uma casa pra cuidar, vc tem mt coisa a perder ainda e tudo q acontecer vai afetar no modo como vc ve a vida cara. nao pode afirmar nada agr tem gente q morre com 90 anos e nao sabe nada da vida vc só tem 14.’
–  eu afirmo sim, no que eu acredito… não nego que ainda vai ter muita coisa pra ver, pra sentir (só de pensar nisso já dá um cansaço) e o escambau mas vem cá, a questão é a do deus né?
‘ vc NUNCA JAMAIS vai poder ter certeza de nada em relação a “Deus” vc pode viver 1000 anos, q vai continuar sem saber
– assim como todo mundo

‘sim, e como vc pode tatuar q nao existe Deus acima de vc?’
– a minha certeza em afirmar que não existe, é a mesma e tão forte quanto a de quem afirma que existe. por uma questão muito simples.
‘e se com o passar dos anos coisas forem acontecendo na sua vida e vc mudar de ideia. vc ta numa situação fudida na vida, nao em material, mas vc, seu EU E EU esta acabado.. sei lá, porra vem uma pessoa q renova tudo, sua vida, seu sorriso.. te faz querer viver, e vc de alguma forma vai achar q aqui é so um acontecimento? NAO cara, nao, acho q alguem te enviou essa pessoa nao  tua energia precisou daquela outra mas a igreja catolica é ridicula, qualquer tipo de religiao é ridicula vc nao tem q aceitar uma e pronto. vc tem q achar “aquilo” dentro de vc. tipo, é no geral sabe? aquilo nao tem nome, nem cor, nem nada. aquilo faz parte de vc ‘
–  ééé… quase isso que eu to tentando dizer. resumindo.. toda vez que eu precisei  aquilo não tava lá e aquilo não tava lá nas coisas boas também
‘tava sim vc não vê mas sempre ta’
–  isso é o que tu acredita…
‘aquilo faz parte de vc, se nas coisas boas vc se entregou de verdade, vc deixou aquilo invadir vc’
– porque a menos que eu tenha alguma deformidade que eu não sei explicar ainda, eu devo ter tanta capacidade de ‘ver’ algo quanto o resto do mundo
‘ é.. ta eu te intendi mesmo detestando isso ‘
– aaaah
‘lindo’
– não leva tão a sério…
‘ te amo. ah nao consigo eu levo tudo a serio’
– mas tu não tem que levar ISSO a sério. tipo, sou só eu, a milhares de quilometros de distância. isso simplesmente não pode te afetar.
‘ cala essa boca! me afeta cara vc nao tem metade da noção como as coisas me afetam pensa na pessoa mais sensivel q vc conhece. sou o triplo. mas tudo bem vc ainda é meu amorzinho’

volta.

dezembro 5, 2010

F: eu adoro suas mãos sabia?
P: é, e o que elas tem de demais?
F: as suas são lindas.. o formato dos dedos, a textura, o desenho das unhas
P: mão é tudo igual, não é não?
F: não! claro que não, sabia que dá pra saber como o homem é na cama só de olhar para as mãos dele?
P: tu tá de sacanagem..
F: não tô não, inclusive eu acho que eu escolhi você pela forma que você pegava o seu copo de pepsi ou então como colocava as mãos sobre a mesa
P: não acredito que a parte do meu corpo que tu mais gosta sejam minhas mãos
F: eu não disse isso.. eu disse que foi a parte que me chamou atenção mas você tem um monte de coisas que eu gosto
P: é, tipo o que?
F: tipo.. suas orelhas
P: ce tá de sacanagem comigo
F: não, eu não to.. eu adoro o formato delas, adoro.. adoro o desenho das suas sombrancelhas, seu nariz, a grossura do seu pescoço e essa veia que aparece aqui quando você franzi a testa
P: tu esqueceu do meu cotovelo.. ah, fala sério..
F: eu tô falando.. tá bom, o que você gosta em você?
P: sei lá.. eu sempre tive o maior orgulho dos meus olhos, da minha boca, do meu abdome..
F: hum.. eu também gosto disso, mas o que que eu posso fazer se essa sua orelhinha é uma loucura
P: orelhiiinha? hahhaha
F: ta bom, o que voce gosta em mim?
P: essa é fácil.. seios, e bunda, e pernas..  só não me pede pra dar uma ordem de preferencia
F: vem cá, nao dava pra ser mais original nao?
P: gatinha com uns seios iguais aos seus seriam um desperdicio se eu fosse original
F: já vi.. pra você mulher é tudo igual faca e academia qualquer uma fica assim..
P: voce é mulher de faca e academia?
F: não.. um pouco de academia, o resto é tudo meu mesmo
P: isso faz toda a diferença
F: mesmo assim eu não gostei..
P: tá certo.. é claro que nada disso seria suficiente se não fosse seus olhos, pela sua boca que são lindos, também adoro essas marquinhas que o seu queixo faz quando tu quer fazer essa cara de braba, e o modo como o seu olho treme quando tu fica emocionada, acho uma graça quando tu franzi a testa assim quando vai brigar comigo, e o seu olhar envergonhado quando te faço elogios como agora.. mas acima de tudo, eu adoro os seus seios. hahahahha
F: eu não vou deixar voce ir embora mais daqui
P: sabe aquele montão de coisas que tu falou que queria fazer?
F: sei!
P: a gente vai fazer TODAS.

volta.